(Un)Happy — Cidades Brasileiras

A música "Happy" e seu clipe, do cantor Pharrell Williams, provocaram um movimento mundial nas ruas de diversas cidades de todos os continentes. O clipe que mostra Pharrell, amigos e pessoas comuns dançando e felizes nas ruas de L.A., inspirou diversas versões de diferentes cidades. No Brasil não foi diferente, e algumas prefeituras aproveitaram para criar suas próprias versões, como aconteceu em Porto Alegre e Curitiba.

Não demorou, porém, a aparecerem outras versões - mais criativas - das cidades brasileiras. Algumas pessoas viram esse movimento como uma oportunidade de mostrar a "verdadeira" realidade e evidenciar os problemas causados pela falta de planejamento urbano, pela ausência de comprometimento de longo prazo e pelos sistemas urbanos ineficientes (ônibus e metros lotados, falta de segurança, congestionamento, lixos nas ruas, etc).

Essa foi a motivação de um grupo chamado "Jeitinho Carioca", que criou uma versão irônica do vídeo, apontando os problemas enfrentados na cidade - incluindo a corrupção e o alto custo de vida.

Porto Alegre também ganhou uma versão nada feliz. Recentemente, a Prefeitura anunciou que apenas 4 das 14 obras de infra-estrutura para Copa do Mundo estarão prontas para o evento. O clipe evidencia o "canteiro de obras" que a cidade se tornou.

Essas manifestações trazem uma nova discussão sobre o tipo de cidade que os Brasileiros querem viver e, principalmente, em como abandonar essa cultura da ineficiência. A Copa do Mundo podiaria ser uma oportunidade de mudar essa história, promovendo novas soluções centrada nas pessoas. Mas como já era esperado, nada mudou.

Parece que o Governo (Municipal e Federal) está contando com uma vitória da Seleção e o período de festas da Copa, para que os problemas e as críticas sejam esquecidas. Por isso, o grande desafio é como mudar a mentalidade dos brasileiros, que culturalmente possuem uma memória extremamente curta? Como instigar uma postura mais ativa e questionadora sobre as escolhas de suas cidades? As cidades brasileiras não podem mais esperar. Os clipes mostram um sinal de consideração, mas o que mais pode ser feito? No meu próximo post, vamos discutir esse tema com mais profundidade.

Add new comment

Filtered HTML

  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Allowed HTML tags: <a> <em> <strong> <cite> <blockquote> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Lines and paragraphs break automatically.

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
By submitting this form, you accept the Mollom privacy policy.