Uma Mão Santa para os trabalhadores informais do Rio de Janeiro

Andréa Azambuja, Coordenadora da Rede em Rio de Janeiro
Rio de Janeiro, 27 julio 2016

Segundo o Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade (IETS), aproximadamente 1.5 milhões de profissionais trabalham na informalidade no setor de serviços no estado do Rio de Janeiro. Só na zona Sul e no Centro da capital são cerca de 41 mil pessoas, que estão sempre precisando de uma mãozinha para conseguir oportunidades, manter a clientela e evoluir nos serviços oferecidos.

É esse empurrãozinho que dá a Mão Santa, negócio social que utiliza a tecnologia para garantir qualidade na oferta de serviços em reformas e manutenção residencial (hidráulica, elétrica, revestimentos, alvenaria, pinturas, acabamentos) – um ramo em geral difuso e muitas vezes com forte característica de amadorismo – e, sobretudo, para promover a prosperidade dos trabalhadores autônomos na capital fluminense.

Com foco no desenvolvimento local dos bairros, a Mão Santa conecta demanda e oferta próximos, através de uma plataforma online, e assegura a qualidade da entrega e o comprometimento dos profissionais – um grande diferencial. Firma o compromisso, pois além de intermediar a relação, promove a qualificação de sua rede de parceiros, com treinamentos comportamentais, coaching, cursos técnicos e consultoria gratuita para formalização, para que todos abram oficialmente sua microempresa.

Além disso, desenvolve redes de parceria com a Empresa Júnior PUC-Rio – consultoria formada por alunos de diferentes cursos da universidade que oferece soluções interdisciplinares em gestão e estratégia –, com a Pastoral Universitária Anchieta PUC-Rio – que faz a ponte para que universitários estagiem ou voluntariem na start up – e com a Rede Cidadã, ONG que investe no trabalho social e, entre inúmeras frentes, aplica metodologias comportamentais que desenvolvem e reforçam competências.

Outro parceiro é o Mão na Massa, que qualifica mulheres em situação de vulnerabilidade no setor da construção civil – a formação é gratuita e, quando saem, além do diploma, as participantes recebem equipamento de proteção individual e um kit com ferramentas para dar início à carreira. Além de ter como objetivo gerar impacto social significativo na vida dos trabalhadores da área de maneira geral – com desenvolvimento pessoal, técnico e incremento de renda – o Mão Santa também tem a meta específica de incluir, valorizar, empoderar e disseminar a mão de obra feminina no ramo, majoritariamente masculino.

O Mão Santa é recente, teve início como como um projeto de faculdade, na PUC-Rio, no fim de 2014 e se estendeu ao programa Meu Futuro Negócio, onde conquistou o primeiro lugar e ganhou a oportunidade de ser pré-incubado pela incubadora Instituto Gênesis de forma gratuita, de julho de 2015 a abril de 2016.

No fim do ano passado, o projeto ficou entre os finalistas da Maratona de Negócios Sociais, promovida pelo Sebrae, que oferece módulos de capacitação, consultoria de especialistas e mentoria de empreendedores sociais experientes e, em abril deste ano, passou no processo seletivo do Shell Iniciativa Jovem 2016 Shell Iniciativa Jovem 2016, que teve mais de 750 empreendedores inscritos e oferece qualificação empreendedora, suporte e estímulo a redes de relacionamentos sustentáveis para que jovens de 20 a 34 anos desenvolvam seus próprios negócios.

Até abril, o Mão Santa estava sendo financiado com recursos próprios da equipe; agora, para entrar numa segunda fase de implementação, o grupo está buscando aporte de capital para atingir a escabilidade do negócio, implementar a plataforma online e desenvolver um aplicativo para celular que funcione por geolocalização.

Atualmente, a empresa está sediada na comunidade Vila Parque da Cidade, onde são prestados atendimentos individuais personalizados e dinâmicas em grupo, e auxilia 20 profissionais. A intenção é, até novembro de 2016, construir uma rede ampla de trabalhadores, regularizar a companhia e sustentá-la com porcentagens baixas em cima dos serviços de reparos prestados.

Foto: Dirce Glória dos Santos, que se formou no Mão na Massa e hoje é sócia do Mão Santa. Créditos: Paulo Alvadia para Agência O Dia.

Permalink to this discussion: http://urb.im/c1607
Permalink to this post: http://urb.im/ca1607rjp